Você sabia que o Prosecco Superiore de Denominação de Origem Controlada e Garantida (DOCG) é produzido somente entre as cidades de Conegliano e Valdobbiadene?

Não? Conheça então o caminho que leva às vinhas deste fabuloso vinho!

Em meio às paisagens bucólicas, com vales e colinas repletas de vinhedos e vinícolas, desponta a Estrada do Prosecco.

Localizada na Província de Treviso, nordeste da Itália, o percurso ocorre em uma estrada estreita, sinuosa, mas muito bem conservada e sinalizada.

É um cenário ambiental impressionante dominado por vinhas intermináveis que pacientemente alterna suas cores, odores e sabores ao longo das estações do ano.

Estrada do Prosecco em San Pietro di Feletto. Pista asfaltada e em curva. Em um lado da pista há um gramado verde e do outro, residências.
San Pietro di Feletto, Estrada do Prosecco, Itália (Foto: DoCarmo).

Afinal, trata-se da herdeira da rota mais antiga do vinho italiano inaugurada em 1966, a “Strada del Vino Bianco”.

Além do mais, suas colinas são consideradas uma das mais importantes e famosas para a Enologia italiana e marcam o primeiro exemplo de turismo Enogastronômico.

Colinas repletas de vinhas verdejantes e um céu azul rosáceo em Col San Martino - Estrada do Prosecco.
Vinhas em Col San Martino, Estrada do Prosecco, Itália (Foto: DoCarmo).

Mas, não são apenas as vinhas e vinícolas que encantam a região!

Ao longo do circuito há vários hotéis de agroturismo com cozinhas e produtos típicos da região que convidam o visitante ganhar uns quilinhos.

No entanto, se o tempo for curto, uma paradinha em uma osteria ao longo da rota poderá ser bem divertido. Foi o meu caso!

Além disso, ao longo do trajeto, o viajante se depara com castelos, igrejas, monumentos medievais e vilas que engrandecem a cultura e as tradições de um povo.

Enfim, o passeio pela região é tranquilo e em meio às paisagens naturais, mas que contempla um conteúdo histórico, artístico e cultural.

E é na cidade de Conegliano que se inicia “La Via del Prosecco”

Percursos

Há duas formas de se percorrer a Via do Prosecco: O Percurso em Anel, ou então, a metade deste.

Mapa da Estrada do Prosecco com coloração amarelo esverdeado. A via do Prosecco é marcada por uma linha em vermelho.
Mapa turístico de Treviso com o circuíto da Strada del Prosecco, Itália.
O Percurso em Anel

É a rota principal e corresponde à um trajeto de 90 Km de distância entre as cidades de Conegliano e Valdobbiadene, as duas capitais do Prosecco.

Trata-se de uma via circular traçada a partir da rota original devido ao seu valor histórico e cultural e que, por conseguinte, permite ao visitante retornar ao ponto de partida por uma estrada diferente.

Percurso em Meio Anel.

Dependendo do destino e tempo disponível do viajante, uma segunda alternativa é percorrer somente a metade do percurso em anel.

O trajeto é de aproximadamente 35 Km e engloba 15 cidadezinhas desde Conegliano até Valdobbiadene. Talvez seja por isso, a rota turística mais percorrida.

ENFIM, O QUE CONHECER AO LONGO DO TRAJETO ALÉM DA VASTIDÃO DE VINHEDOS!

Ao longo da rota há vários lugares de interesse histórico, artístico e cultural que merecem uma parada. Ao propósito disto, confira algumas das sugestões!

1. Conegliano

O castelo de Conegliano está inserido em um lindo bosque repleto de pinheiros. A Villa Gera está à frente, com uma bela fachada neoclássica com 8 colunas jônicas. Acima das colunas, há um majestoso tímpano com esculturas. Aos fundos, está a torre do castelo, onde funciona o Museu Cívico.
Villa Gera e Museu Cívico no Castelo de Conegliano, Estrada do Prosecco, Itália (Foto: Francesco Galifi – Arquivo Fotográfico do Município de Conegliano).
  • Centro histórico – rua XX de Setembro, a antiga rua “Contrada Grande”, com seus palácios decorados e a Catedral com lindos afrescos;
  • Castelo de Conegliano – pequeno, mas encantador e, o Museu Cívico;
  • Via di Feletto – que cresceu em torno do antigo Mosteiro Camaldolese de Santa Maria Assunta;
  • Escola Enológica – a mais antiga da Europa. Alguns roteiros recomendam iniciar o passeio a partir deste ponto. No entanto, não vejo esta necessidade.

2. San Pietro di Feletto

Certamente este lugar proporciona uma vista panorâmica lindíssima das colinas.

Aqui, se deve visitar a igreja paroquial medieval do século XII, Pieve di San Pietro di Feletto, com seu campanário românico e afrescos, de fato, impressionantes!

Horário de funcionamento: sábado das 9:00-10:00/ 15:00-20:00 e domingo das 9.00-11.30/14.30-19.00. Para visitação em outros dias é necessário agendamento pelo telefone: 329-3615869.

  • Praça da Pieve de San Pietro di Feletto. Na praça há a pequena igreja e sua torre em pedra. Um relógio redondo e um sino se destacam-se no alto da torre. Ao lado desta, um pinheiro bem alto.
  • A fachada com o pórtico da Igreja paroquial de San Pietro di Filetto é de cor amarelo claro. Há uma fachada saliente em frente com uma grande arcada do século XIII. Ao lado da longa escadaria, dois grandes arbustos .
  • Afresco da Virgem com o Menino na fachada de Pieve di San Pietro di Feletto. Menino Jesus repousa sobre o colo da Virgem. Atrás dela, um Bispo e à sua frente Santo Antonio e São Tiago.

3. Refrontolo

Sem dúvida, Molinetto dela Croda!

Afinal, Molinetto dela Croda é considerado um dos maiores símbolos rurais do Vêneto, servindo de inspiração para artistas plásticos do mundo todo.

Em suma, Molinetto é um moinho do século XVII localizado ao lado de uma linda cachoeira, cuja fundação do edifício, encontra-se embutida na rocha.

Até 1953 o moinho era utilizado para a produção de farinha. Entretanto, atualmente serve como um museu de exposição dos vários instrumentos utilizados na produção da farinha.

  • Em Molinetto dela Croda, o moinho encontra-se na fachada lateral de um casebre amarelinho. Uma cachoeira jorra suas águas cristalinas em um lago. Ora, ora dois gansos olham pra mim!
  • Em Molinetto dela Croda, duas floreiras, uma com Gerânios vermelhos e outras com Gerânios lilases, estão presas em uma cerca de Eucaliptos que ceca o lago. O moinho e o casebre encontram-se ao fundo.

Nesse meio tempo, aproveite o local para fazer um piquenique regado a vinho, queijos, trufas e outras guloseimas da região. O lugar é, decerto, ideal para isso!

4. Pieve di Soligo

  • Solighetto –  É uma cidadezinha da Comuna de Pive di Soligo reunida em torno do antigo núcleo da Piazza Libertà. Nesta praça está a Igreja Paroquial do século XIX, uma torre sineira alta e uma fonte.
  • Além disso, na antiga cidade, há a Villa Brandolini d’Adda – uma vila veneziana do século XVIII que abriga hoje um pequeno museu dedicado à cantora lírica Toti Dal Monte.

Em Soligheto, provavelmente o viajante se assustará ao adentrar-se pela via Roma, a via que dá acesso à Farra di Soligo. Eu pelo menos, me assustei!

Passarela da Villa Brandolini d"Adda sobre a via Roma em Solighetto
Passarela na Via Roma, Soliguetto, Estrada do Prosecco, Itália (Foto: DoCarmo).

5. Farra di Soligo

Certamente, Farra di Soligo é a comuna com o maior número de igrejas a serem visitadas. Aqui, são indicadas algumas igrejas e santuários, por ordem de percurso a partir de Soligo, município de Farra di Soligo:

  • Paroquia de São Pedro e Paulo – tão antiga quanto a história da cidade, com registros que datam de 1.192;
  • Capela de San Gallo – em estilo românico, localizada no eremitério de San Gallo bem no topo da colina. Oferece uma linda vista para a cidade e colinas ao redor. O santuário tornou-se um destino para os peregrinos, especialmente para aqueles que sofrem de insônia.
  • Santuário de Collagù – um santuário consagrado, antiquíssimo, que remonta provavelmente à Idade do Bronze. Nele estão as relíquias de São Emílio. Na década de 30 ganhou uma igrejinha, uma torre sineira em forma neorromântica e um esplêndido afresco no pórtico externo. 
  • Capela de São Lourenço – a pequena capela remonta aproximadamente do séc. XIII. No lado norte, ergue-se a torre sineira com telhado com ameias de cauda de andorinha. O acesso se dá usando as pernas, percorrendo uma pequena trilha íngreme entre videiras. Com sorte, assim como eu, o viajante terá a felicidade de colher maçãs silvestres logo no início desta trilha.
  • Igreja Arquiduque de Santo Estevão Promártire – trata-se de uma igreja paroquial recente, construída durante o século XVIII em substituição a anterior.
Col San Martino  – O “Gold Coast” de Prosecco

Col San Martino, considerada a “Costa Dourada do Prosecco“, também é uma Comuna de Farra di Soligo. Os monumentos interessantes são:

  • Torres de Credazzo – ruínas do antigo castelo que foi destruído diversas vezes por invasores. O castelo foi reconstruído parcialmente, no entanto, não está aberto à visitações. A aproximação da porta de entrada se dá através de um caminho entre as linhas de videiras. Por outro lado, bem próximo ao local, há um restaurante de hotel de agroturismo de onde é possível avistar as torres enquanto se saboreia um legítimo Prosecco.
  • Igreja de São Vigilio – Construída em 1217 e ampliada no século XVII.
    Possuí no seu interior afrescos valiosos.
  • Igreja paroquial de Col San Martino – A atual igreja, em estilo Lombard, é dedicada à Santa Anunciação. Projetada em 1898, abriu o culto em 1904, sendo a torre do sino erguida somente entre os anos de 1950-1968.

 7. Por fim, Valdobbiadene

Aqui, não apenas se encontra paisagem mais bela de toda rota, como também, a região onde reside o “cru” do Prosecco DOCG. Uma área com vinhedos capazes de produzir vinhos de qualidade valiosa chamada Cartizze.

Valdobbiadene, uma linda vista panorâmica com vinhas verdejantes.
Vista panorâmica de Valdobbiadene, Estrada do Prosecco, Itália (Imagem: https://www.booking.com/hotel/it/respiro).

E então, para o retorno…

Há várias visitas interessantes que complementam o roteiro da Estrada do Prosecco.

  • A fabulosa Abadia Cisterciense Santa Maria di Follina, com o Mosteiro e a Basílica em Follina;
  • O Castelo Brando em Cison di Valmarino. Um dos maiores castelos da Europa, parcialmente transformado em hotel (reservar a visita);
  • Antiga Cantina Brandoline em Cison di Valmarino. Uma das aldeias mais belas da Itália.
  • E para quem gosta de Adrenalina, Passo San Boldo, a estrada dos cem dias, em Cison di Valmarino. Passo San Boldo entra para a lista das estradas mais sinuosas e perigosas do mundo!

COMO IR

A melhor e mais barata opção deste roteiro é fazê-lo de carro. No entanto, cidades próximas como Veneza e Treviso oferecem o serviço de transporte através de agências de turismo.

Os ciclistas podem ainda contar com a via cicloturística e, dessa forma, se deleitarem com os encantos da natureza enquanto pedalam.

De Veneza à Conegliano são 63 Km de distância e a partir de Treviso apenas 30 Km, com a possibilidade de se iniciar o passeio em Valdobbiadene. Escolha esta que dependerá unicamente da localização e do roteiro turístico do viajante.

Prontos para percorrer a Estrada do legítimo Prosecco?

Então, buon viaggio!

comments