Dirigir ou não em Buenos Aires?

Dirigir em Buenos Aires está pra lá de uma aventura. É como participar da película “Rápidos y Furiosos”.

Acostumada a dirigir pelo mundo, não imaginava o quanto estressante seria dirigir na linda capital portenha.

Educação no trânsito é algo bem complicado…

Apesar da cidade apresentar  pistas e avenidas bem conservadas, a sinalização vertical é falha e o trânsito caótico.

A impaciência dos motoristas impera!

Trafegam em altíssimas velocidades, muitas vezes, acima dos limites permitidos, ultrapassando outros veículos por qualquer espaço possível;

Comando de seta! Para que?

Se você a utilizar dificilmente lhe darão passagem e somente com muita dificuldade conseguirá realizar a manobra desejada.

O mesmo ocorre com a sinalização do semáforo. Ultrapassar com o sinal fechado é comum e, ai de quem estiver parado no sinal esperando-o abrir ou estiver transitando em uma velocidade menor!

Uma sinfonia de buzinadas ecoará  em seus ouvidos! 

Observe algumas das infrações registradas e publicadas no youtube, em junho de 2015. Neste vídeo, o trânsito se apresenta bem tranquilo e as infrações bem leves diante das que presenciei.

 

 O pedestre parece não ter vez…

Infelizmente presenciei, por duas vezes no mesmo dia, cenas de pedestres que ao atravessar a rua foram atingidos por veículos que trafegavam em altíssima velocidade.

Na tentativa de controlar os abusos no trânsito,  placas e faixas com advertências podem ser vistas nos postos de pedágios e nas autopistas.

Placa de Advertência em Posto de Pedágio. Buenos Aires, Argentina. (Foto: DoCarmo)

 

As multas são altíssimas, podendo chegar a 20.000 pesos argentinos, fato que  parece não intimidar o motorista apressado.

Portanto, se a intenção é percorrer a cidade de uma forma mais tranquila, fica a dica:

Contrate o serviço de táxi ou de uma agência de turismo para percorrer distâncias maiores. Se a intensão for economizar, faça uso dos transportes coletivos. As linhas de metro possibilitam chegar às principais atrações e facilmente, de trem ou barco,  às cidades vizinhas.

E se tiver chance…

caminhe pela cidade explorando cada rua, cada detalhe, a beleza e o  jeito de ser dessa belíssima cidade.

Bon Voyage!

e até o próximo post.

comments